.

Seguidores

.

.

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Filósofo

Costuma-se dizer que o termo filósofo foi utilizado pela primeira vez por Pitágoras no século V a.C. Perguntaram a ele se era um sábio e ele disse que não, mas que na realidade era um philo shopos, ou seja, um amante da sabedoria. Esta anedota trouxe uma ideia aproximada da definição de um filósofo.

O homem comum reflete sobre o mundo de maneira simples e direta, pois não precisa de uma análise detalhada para viver com normalidade. O cientista investiga um problema da realidade e traz a solução certa. Já o filósofo adota outra postura, analisa algum aspecto da realidade a partir da razão e procura aprofundar-se rigorosamente nas ideias.

Há muitas maneiras de ser um filósofo. Alguns refletem sobre a moral (Sócrates é um bom exemplo), outros tentam criar um novo modelo social (assim como fez Platão em sua obra a República). Também há aqueles que acreditam que se deve analisar a linguagem para compreender a realidade (é o caso de Wittgenstein). Cada filósofo tem uma atitude intelectual diferente e dirige seus interesses para os diversos ramos da filosofia: a lógica, a ética, a epistemologia, a metafísica, etc.

O filósofo não é uma pessoa isolada no contexto histórico. Na verdade, ele procura refletir sobre os problemas de sua época, não do ponto de vista técnico (como faz um urbanista ou engenheiro), mas faz uma análise sobre aquilo que considera relevante do período que vive. Por este motivo, o filósofo é considerado um intelectual, ou seja, é capaz de ir mais além de uma determinada situação e apresenta uma reflexão ainda mais profunda.

O filósofo se dedica em pensar em algo que lhe preocupa e por isso costuma questionar as ideias. Normalmente um pensador age da mesma forma que um artista. O filósofo defende uma postura intelectual e para isso apresenta alguns argumentos teóricos que, por sua vez, se opõem a outras abordagens. Este procedimento (um confronto de ideias) é o mecanismo utilizado ao longo da história da filosofia.

Existem alguns filósofos que consideram a filosofia uma atividade em decadência, pois ela não dá uma resposta aos problemas atuais. Num sentido contrário, outros defendem a tese de que é impossível não filosofar.

Fonte: Conceitos.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário